Primeira Fotografia feita na América do Sul na praça XV


fotografia-primeira

O Monumento à Primeira Fotografia feita na América do Sul. Instalada entre o Paço Imperial e o prédio anexo da Alerj, a obra foi oferecida ao Rio de Janeiro pela Prefeitura de Paris e faz parte do programa de comemoração dos 200 anos da Missão Artística Francesa no Brasil.


O monumento traz a imagem do Paço Imperial, em uma fotografia atribuída ao francês Louis Comte. A demonstração do novo invento (foto) – na época denominado daguerreotipia – foi feita no dia 17 de janeiro de 1840 e noticiada pelo Jornal do Commercio, então principal diário carioca, na sua edição vespertina. No dia 20 de janeiro, o invento foi apresentado ao jovem Imperador do Brasil D. Pedro II, que dois meses depois tornava-se o primeiro fotógrafo brasileiro, com apenas 15 anos de idade.

Com curadoria de Milton Guran e design de Jair de Souza e Ado Azevedo, o monumento simboliza a primeira imagem de processo fotográfico produzida na América do Sul e uma das primeiras, em toda a história da fotografia, em que aparecem, com nitidez, pessoas e animais em um logradouro público.
A peça possui dois metros de altura, estrutura de aço escovado e vidro laminado auto-limpante e instalada sobre um piso circular em granito preto, com sinalizadores em aço para deficientes visuais. A fotografia, o texto e as marcas foram impressos nas duas faces da escultura.
Além da imagem da fachada do Paço Imperial, Comte registrou ainda o Chafariz do Mestre Valentim e o Mercado da Candelária, durante sua passagem pela cidade do Rio. Capelão de um navio-escola francês que aportou no Rio de Janeiro apenas de passagem, Comte deixou o povo brasileiro e especialmente o imperador D. Pedro II encantado com o resultado de suas fotografias.

Prefeitura – RJ

&nbsp,

Deixe um comentário Cancelar resposta